Olimpíadas, títulos do Palmeiras e surpresa na F-1: Relembre os fatos marcantes do esporte em 2021

Eventos emocionantes como as Olimpíadas de Tóquio, a Eurocopa, a Copa América e duas Libertadores marcaram o ano; Fórmula 1, NBA e NFL tiveram campeões surpreendentes

  • Por Jovem Pan
  • 29/12/2021 08h00
Montagem sobre fotos/Reprodução/Palmeiras/@timebrasil/@redbullracing/@PSG_Inside Olimpíadas, Libertadores, Eurocopa, Copa América, Bola de Ouro, Fórmula 1 e outros eventos marcaram o mundo esportivo em 2021 Olimpíadas, Libertadores, Eurocopa, Copa América, Bola de Ouro, Fórmula 1 e outros eventos marcaram o mundo esportivo em 2021

Os apaixonados por esporte acompanharam eventos emocionantes em 2021, como a realização das Olimpíadas de Tóquio, a disputa da Eurocopa, o desfecho amargo da Copa América e o sucesso continental do Palmeiras. Nos Jogos, a delegação brasileira fez história, alcançando sua melhor posição no quadro de medalhas. Itália e Argentina sagraram-se vencedoras continentais de futebol, dando boas impressões para a Copa do Mundo, que será disputada no Catar, no ano que vem. Ainda no esporte mais popular do planeta, o Verdão teve um ano histórico, ganhando duas vezes a Copa Libertadores da América e uma a Copa do Brasil. No automobilismo, Max Verstappen, da Red Bull, tirou o octacampeonato da Fórmula 1 de Lewis Hamilton na volta final do último Grande Prêmio, quebrando uma sequência de taças da Mercedes. Já nos Estados Unidos, Milwaukee Bucks e o Tampa Bay Buccaneers voltaram a festejar na NBA e NFL, respectivamente, após muito tempo. A Jovem Pan recorda abaixo os principais acontecimentos do esporte no Brasil e no mundo.

JANEIRO

O Palmeiras começou a transformar 2021 em um período marcante para sua história logo no começo do ano. Devido à pandemia do novo coronavírus, a Libertadores de 2020 foi definida somente em 31 de janeiro deste ano, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Em decisão truncada e quente diante do rival Santos, a emoção persistiu até o fim, quando o atacante Breno Lopes, que acabara de entrar, marcou o gol da vitória, aos 53 minutos. Histórico, o bicampeonato fez a festa de palmeirenses espalhados pelo país e ao redor do mundo.

FEVEREIRO

Ainda no futebol, quem comemorou o título do Campeonato Brasileiro na temporada passada foi o Flamengo, em fevereiro, quando era treinado por Rogério Ceni. Com uma arrancada no fim, o Rubro-Negro levou o bi do Nacional na última rodada, quando perdeu para o São Paulo, mas viu o Internacional, o segundo colocado, tropeçar diante do Corinthians. Já no futebol americano, o Tampa Bay Buccaneers, liderado por Tom Brady, fez história ao ganhar o Super Bowl pela segunda vez, despachando o Kansas City Chiefs. Ainda nos Estados Unidos, o golfista Tiger Woods, lenda do esporte, se envolveu um grave acidente de carro, sofrendo fratura exposta. Após longos meses de recuperação, o astro voltou a competir em dezembro deste ano.

MARÇO

O Palmeiras continuou empilhando taças em março, ao vencer o Grêmio duas vezes e faturar a Copa do Brasil, conquistando a tríplice coroa — além do mata-mata nacional e da Libertadores, o Alviverde havia ganhado o Campeonato Paulista no começo da temporada, ainda em 2020. O momento, no entanto, não foi só de festas no futebol brasileiro. Com o atraso da vacinação, vários times sofreram surtos, e o Paulistão 2021 precisou ser paralisado. Pior do que isso, grandes nomes do jornalismo esportivo nos deixaram em decorrência da pandemia, como o narrador Edson Callegares e o apresentador Paulo Stein. Além deles, o ex-dirigente do Santos Dr. César Augusto Conforti e o pai do atacante Ricardinho, do Grêmio, morreram de Covid-19 no período.

ABRIL

O Flamengo não teve um ano brilhante, mas um dos pontos altos foi a conquista da Supercopa do Brasil, diante do Palmeiras, no Mané Garrincha, no Distrito Federal. Após uma partida eletrizante, com empate em 2 a 2, o Rubro-Negro levou a melhor nas penalidades. Do lado Alviverde, o mês de abril foi completamente negativo. Fora o vice para o rival carioca, o time de Abel Ferreira também perdeu a final da Recopa Sul-Americana, para o Defensa Y Justicia, da Argentina, também nas penalidades.

Já no Velho Continente, uma polêmica agitou os bastidores do mundo da bola. Doze dos clubes mais ricos do mundo anunciaram a criação da Superliga Europeia, um campeonato que faria oposição à tradicional Liga dos Campeões. Na prática, ArsenalChelseaLiverpoolManchester CityManchester United e Tottenham (Inglaterra); Inter de MilãoJuventus e Milan (Itália); Atlético de MadridBarcelona e Real Madrid (Espanha) iriam deixar de disputar o principal torneio organizado pela Uefa para fundar e organizar a própria competição. Após a entidade que rege o futebol europeu condenar a iniciativa e ameaçar aplicar sanções, a ideia foi descartada. Já nos outros esportes, mais personalidades importante nos deixaram por causa da Covid-19, como Roseli Machado, campeã da São Silvestre de 1996, e Ruth Souza, campeão mundial de basquete.

MAIO

Maio ficou marcado como o mês de encerramento dos campeonatos estaduais. Grêmio, Avaí, São Paulo, Flamengo, Atlético-MG, Atlético de Alagoinhas-BA, Grêmio Anápolis-GO, Cuiabá, Náutico, CSA e outros times comemoram neste período. Na Sul-Americana, o Corinthians, um dos favoritos ao título, deu adeus ao sonho da conquista inédita, caindo ainda na fase de grupos. Ainda no futebol, o Chelsea sagrou-se bi da Liga dos Campeões, batendo o rival Manchester City na grande decisão. Já fora dos gramados, a Copa América, que estava marcada para ser realizada na Argentina e na Colômbia, sofreu uma reviravolta, migrando para o Brasil a dez dias de seu início. Além disso, o lutador Anderson Silva, conhecido como “Spider”, oficializou sua saída do MMA, onde teve grande trajetória. Os tenistas Naomi Osaka e Rafael Nadal, por sua vez, foram eleitos os atletas de 2020 no Prêmio Laureus, um dos mais importantes do esporte.

JUNHO

O escândalo envolvendo o então presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi o primeiro grande acontecimento de junho. Acusado por funcionária da confederação de praticar assédio sexual e moral, o então mandatário foi afastado do cargo em meio à polêmica da realização da Copa América em território brasileiro. Apesar de negar qualquer tipo de abuso no ambiente de trabalho, Caboclo foi alvo de outras acusações parecidas, sendo suspenso das atividades da entidade por 20 meses. Já dentro das quatro linhas, mesmo com reclamações quanto ao estado dos gramados, Brasil e Argentina lideraram seus respectivos grupos com facilidade. Do outro lado do Oceano Atlântico, as principais seleções do Velho Continente também deram início à Eurocopa. Ainda na fase de grupos, alguns incidentes marcaram o começo do torneio. O dinamarquês Christian Eriksen, por exemplo, assustou o mundo ao sofrer uma parada cardiorrespiratória — e precisar ser ressuscitado em jogo contra a Finlândia, logo na primeira rodada. Até hoje o meio-campista não retornou aos campos

Já a Uefa, responsável por organizar a competição entre seleções, foi criticada após recusar o pedido do presidente da Câmara de Munique, Dieter Reiter, de iluminar o Allianz Stadium com as cores do arco-íris, que representam o movimento LGBTQIA+, durante a partida entre Alemanha e Hungria. A solicitação tinha como objetivo protestar contra uma lei aprovada pelo governo húngaro, que restringe os direitos de informação dos jovens com relação à homossexualidade e transexualidade. No tênis, o sérvio Novak Djokovic ganhou Ronald Garros, um dos torneios mais importantes da temporada, consolidando-se na primeira posição do ranking ATP.

JULHO

O mês de julho foi o que mais reservou eventos especiais. Ainda no dia 10, a Argentina venceu o Brasil em pleno Maracanã, levantando a taça da Copa América com gol de Ángel Di María e saindo de um fila de 28 anos sem títulos. Menos de 24 horas depois, foi a vez de a Itália fazer a festa, ganhando da anfitriã Inglaterra, em Wembley, nas penalidades, na final da Eurocopa. Alguns casos de racismo contra jogadores ingleses, no entanto, mancharam o encerramento do campeonato. No futebol brasileiro, o principal acontecimento foi a demissão de Rogério Ceni do Flamengo, após áudios vazados envolvendo o treinador. Enquanto isso, nos EUA, o Milwaukee Bucks bateu o Phoenix Suns, vencendo a NBA após 50 anos.

No dia 23, as Olimpíadas de Tóquio se iniciaram com uma abertura repleta de protocolos contra a Covid-19. Logo nos primeiros dias, a delegação brasileira fez história ao ganhar medalhas nos dois novos esportes dos Jogos. No skate street, Kelvin Hoefler e Rayssa Leal ficaram com a prata, enquanto Ítalo Ferreira faturou o primeiro ouro da história do surfe. Antes da virada para agosto, Rebeca Andrade conseguiu o primeiro pódio para a ginástica feminina brasileira, ficando com a prata no individual geral, enquanto Mayra Aguiar (judô), Fernando Scheffer (natação), Bruno Fratus (natação) e a dupla Laura Pigossi e Luísa Stefani (tênis) ganharam bronze.

AGOSTO

Na primeira semana de agosto — a última das Olimpíadas —, os brasileiros puderam acompanhar o fim de uma campanha histórica dos atletas em Tóquio. Com 7 medalhas de ouro, 6 de prata e 8 de bronze, o país bateu recorde em pódios e atingiu o 12º lugar no quadro geral, sua melhor posição na históri. Destaque para os títulos de Rebeca Andrade (ginástica), Martine Grael e Kahena Kunze (vela), Ana Marcela Cunha (maratona aquática), Isaquias Queiroz (canoagem), Hebert Conceição (boxe), além do futebol masculino. Ao mesmo tempo, algumas negociações bombásticas movimentaram o futebol mundial. Afundado em crise financeira e sem condições de manter Lionel Messi, o Barcelona viu seu maior ídolo deixar o clube e ir para o Paris Saint-Germain. Dias depois, Cristiano Ronaldo fez movimento inverso, deixando a Juventus para retornar à sua antiga casa, o Old Trafford, estádio do Manchester United.

SETEMBRO

O mês de setembro começou de maneira triste. Neto do lendário narrador Luciano do Valle, Lucas foi assassinado durante um assalto na cidade de São Paulo. Semanas após o crime, a polícia prendeu um suspeito de ter matado o empresário. Além disso, Pelé deu um susto ao ficar o mês todo internado no Hospital Albert Einstein. Após dar entrada para realizar exames de rotina, o Rei foi diagnosticado com um tumor no cólon, precisando passar por uma intervenção cirúrgica. Recebendo alta no fim de setembro, o três vezes campeão do mundo com a seleção brasileira voltou a ser internado em dezembro. Já a Canarinho, por sua vez, entrou em campo algumas vezes no período, mas ficou marcada mesmo pela partida que não aconteceu. O clássico contra a Argentina, na capital paulista, válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, foi interrompido por agentes da Anvisa e da Polícia Federal – eles alegaram que quatro jogadores argentinos quebraram o protocolo sanitário e não poderiam estar na Neo Química Arena. O jogo foi parar na Fifa, que ainda não definiu o seu desfecho. Já no surfe, o brasileiro Gabriel Medina tornou-se tricampeão mundial, consolidando-se como um dos melhores da história na modalidade, ainda que tenha amargado a quarta posição na Tóquio-2020.

OUTUBRO

O retorno dos torcedores aos estádios de futebol marcou o mês de outubro. A princípio com capacidade reduzida, a torcida voltou a ocupar as arquibancadas durante partidas do Brasileirão, da Copa do Brasil e até mesmo da Copa Libertadores da América após um ano e meio (desde março de 2020). Apesar dos protocolos, as imagens mostraram boa parte do público sem máscaras, desrespeitando as instruções. Nas quadras, a seleção brasileira de futsal não conseguiu o hexa, ficando com o terceiro lugar no Mundial, disputado na Lituânia.

O principal assuntou no meio esportivo, entretanto, foi uma polêmica protagonizada pelo jogador de vôlei Maurício Souza. O central criticou a DC Comics por retratar o novo Super-Homem como bissexual, detonou a TV Globo por introduzir linguagem neutra em novela e fez comentários irônicos sobre atletas transexuais. Acusado de ser homofóbico, o atleta acabou sendo desligado do Minas Tênis Clube após a repercussão negativa e a pressão de alguns patrocinadores. Políticos, esportistas e atletas se posicionaram contra e favor de Maurício, que segue com futuro indefinido na modalidade e pode até se candidatar nas eleições de 2022. No handebol, Duda Amorim, uma das melhores jogadoras da história, anunciou aposentadoria da seleção.

NOVEMBRO

O penúltimo mês de 2021 foi outro que reservou grandes emoções. Entre as seleções, Brasil e Argentina garantiram classificação para a Copa do Mundo de 2022 com antecedência, assim como França, Alemanha e tantas outras. Ainda no futebol, o Palmeiras sagrou-se tricampeão da Libertadores da América ao bater o Flamengo, no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai. A vitória, obtida somente na prorrogação, coroou um ano histórico do Alviverde e culminou na demissão do técnico Renato Gaúcho do Rubro-Negro. Já na Sul-Americana, o Athletico-PR tornou-se o único brasileiro a ganhar o torneio duas vezes, despachando o RB Bragantino na decisão. No âmbito internacional, Lionel Messi faturou sua sétima Bola de Ouro, igualando o Rei Pelé e consolidando-se no patamar dos gênios da bola, enquanto o espanhol Pedri ganhou o Prêmio Golden Boy. Já no feminino, as “Brabas” do Corinthians levaram a Libertadores mais uma vez. Sensação do ano, o skate street fechou a temporada com o bicampeonato mundial de Pâmela Rosa, que deixou Rayssa Leal com o vice-campeonato.

DEZEMBRO

Felicidade de uns, tristeza de outros. O Atlético-MG encerrou a temporada festejando por ter voltado a ganhar o Campeonato Brasileiro após 50 anos, em campanha marcada por muita regularidade, e também levantar o caneco da Copa do Brasil. O Grêmio, por outro lado, acabou amargando o seu terceiro rebaixamento para a segunda divisão. Ainda no futebol, a seleção brasileira feminina ganhou o Torneio Internacional de Manaus, competição marcada pela despedida da meio-campista Formiga. Já nos “bastidores”, Ronaldo anunciou a compra do Cruzeiro, enquanto o argentinoSergio Aguero, do Barcelona, precisou se aposentar dos gramados precocemente por causa de um problema cardíaco. Medalhistas de ouro nas Olimpíadas, Rebeca Andrade e Isaquias Queiroz foram eleitos atletas do ano no Prêmio Brasil Olímpico 2021. Ana Marcela Cunha, por sua vez, levou o penta no Circuito Mundial de Maratonas Aquáticas, enquanto a seleção feminina de handebol caiu nas quartas de final do Mundial, realizado na Espanha.